Considerações sobre a homossexualidade


O espírito Ramatis através da mediunidade de Hercílio Maes, faz pertinentes colocações a respeito da homossexualidade à luz do Espiritismo esclarecendo nas seguintes respostas ás perguntas a ele formuladas: 

Pergunta: — A tendência de buscar uma comunhão afetiva com outra criatura do mesmo sexo, conhecida por homossexualidade, implica em conduta culposa perante as leis Espirituais?

Resposta: — Considerando-se que o "reino de Deus" está também no homem, e que ele foi feito à imagem de Deus, evidentemente, o pecado, o mal, o crime e o vício são censuráveis, quando praticados após o espírito humano alcançar frequências muito superiores ao estágio de infantilidade. Os aprendizados vividos que promovem o animal a homem e o homem a anjo, são ensinamentos aplicáveis a todos os seres. A virtude, portanto, é a prática daquilo que beneficia o ser; nos degraus da imensa escala evolutiva. O pecado, a culpa, são justamente, o ônus proveniente de a criatura ainda praticar ou cultuar o que já lhe foi lícito usar e serviu para um determinado momento de sua evolução. A homossexualidade, portanto, de modo algum pode ofender as leis espirituais, porquanto, em nada, a atividade humana fere os mestres espirituais, assim como a estultícia do aluno primário não pode causar ressentimentos no professor ciente das atitudes próprias dos alunos imaturos. Pecados e virtudes em nada ofendem ou louvam o Senhor, porém, definem o que é "melhor" ou pior para o próprio ser, buscando a sua felicidade, ainda que por caminhos intrincados dos mundos materiais, sem estabilidade angélica. A homossexualidade não é uma conduta dolosa perante a moral maior, mas diante da falsa moral humana, porque, os legisladores, psicólogos, e mesmo cientistas do mundo, ainda não puderam definir o problema complexo dos motivos da homossexualidade, entretanto, muitos o consideram mais de ordem moral do que técnica, científica, genética ou endócrina.

Pergunta: — Mas o que realmente explica o fenômeno da homossexualidade?

Resposta: — É assunto que não se soluciona sobre as bases científicas materialistas, porque, só podereis entendê-lo e explicá-lo, dentro dos princípios da reencarnação.

Pergunta: — Que dizeis desse estigma de homossexualidade, quando as opiniões se dividem, taxando tal fenômeno de imoral, e outros de enfermidade?  

Resposta: — Sob a égide da severa advertência do Cristo, em que "não julgueis para não serdes julgados", quem julgar a situação da criatura homossexual de modo antifraterno e mesmo insultuoso, não há dúvida de que a Lei, em breve, há de situá-lo na mesma condição desairosa, na próxima encarnação, pois, também é de Lei "ser dado a cada um segundo a sua obra". Considerando-se nada existir com propósito nocivo, fescenino, imoral ou anormal, as tendências homossexuais são resultantes da técnica da própria atividade do espírito imortal, através da matéria educativa. Elas situam o ser numa faixa de prova ou de novas experiências, para despertar-lhe e desenvolver-lhe novos ensinamentos sobre a finalidade gloriosa e a felicidade da individualidade eterna. Não se trata de um equívoco da criação, porquanto, não há erro nela, apenas experimento, obrigando a novas aquisições, melhores para as manifestações da vida.

Para a Doutrina Espírita a homossexualidade é apenas um estágio evolutivo, assim como a heterossexualidade. Ser homossexual não fere as Leis Divinas e muito menos se trata de um equívoco do Criador.

Interessante ressaltarmos que a homossexualidade também não tem uma única causa. Ela pode ser uma prova, uma expiação, uma missão ou uma escolha do próprio Espírito reencarnante.  É leviano pensar que todos homossexuais viveram no sexo oposto na vida passada. Isso pode ocorrer, claro, mas é uma possibilidade dentre centenas. Cada caso é um caso.  Há, por exemplo, casos em que o Espírito é extremamente machista ou homofóbico e no planejamento reencarnatório pede propositalmente para nascer com tendências homossexuais, é nestas situações que muitas vezes o homossexual não se aceita. É uma prova que pediu para passar.


Enfim, para o Espiritismo o que vale é a reforma íntima, independente da orientação sexual. 

=================
Associe-se ao Clube do Livro Letra Espírita e receba no conforto do seu lar maravilhosos livros que iluminam: www.letraespirita.com.br

39 comentários:

Jose Batista de Almeida disse...

Não é bem assim que banda toca. A coisa é bem mais delicada.

Gudemberg Rita disse...

Todo Espírito reencarna com o propósito de agir de acordo com a lei natural. O Livro dis Espíritos pondera que os Espíritos reencarnam vez como homem, vez como mulher, para aprender em ambas condições. Em tese, o sexo masculino se atrai pelo sexo feminino e vice versa por vários motivos, entre os quais a perpetuação da espécie. Portanto, a heterossexualidade se mostra como regra e a homossexualidade como exceção. Parece-me que a homossexualidade se mostra como uma condição peculiar de aprendizado para o Espírito. Como explanado pelo Chico Xavier no Pinga Fogo 1, a sexualidade, hetero, ou homo, bem como a assexualidade, não representam necessariamente problemas, mas a promiscuidade indica desequilíbrio e necessidade de educação, seja em homo ou em heteros. Lembremis que Jesus jamais censurou a homossexualidade. Há elementos muito mais graves que necessitam de reeducação independentemente da sexualidade, como a intolerância e o orgulho na forma de soberba. Há homossexuais e heterossexuais que já se encontram bem mais em harmonia com a lei divina, enquanto há homossexuais e heterossexuais que se encontram ainda na infância do egoísmo e do preconceito. Sob a perspectiva da reforma íntima, a homo e a heterossexualidade não se mostram como um problema, mas como uma condição de aprendizado.

Gabriela Bortoluzzi disse...

Olá, gostei muito do texto. Tem algum livro do Ramatis sobre o assunto, para indicar? Obrigada

Anônimo disse...

Faço parte de uma congregação que me aceita e me respeita assim como o meu companheiro. Se há amor e respeito entre o casal homossexual que mal há? Espiritismo é amor puro. Pagamos nossas contas, trabalhamos e procuramos ser justos com o próximo. Não somos assim tão diferentes dos héteros. Afinal somos todos irmãos e filhos do mesmo Deus.

Dárcio Romanelli disse...

E como é então?

Anônimo disse...

A cegueira do homem a respeito das coisas espirituais o transforma em tolo! Sem nenhuma base bíblica esse texto.

Anônimo disse...

Agora quer ir contra os ensinamentos espíritas??? Apresente argumentos para contestar esse estudo ou aceite que dói menos. A Terra está evoluindo. Aceite ou deixe-a e vai pra mundos menos evolutivos de acordo com sua evolução. Paz, luz e esclarecimentos.

Jso disse...

Texto maravilhoso, amei ler, este tipo de palestra e que precisamos ver mais na mídia, para que assim sane o preconceito,as pessoas têm que compreender que o princípio básico e o respeito ao próximo.

Liana Patricia Araujo disse...

As vezes não entendo muito o por que disso tudo. Penso que as pessoas se amam, se respeitam e querem apenas viver esse momento tão único para ambos.
Tenho pouco conhecimento da Doutrina Espírita, mais consigo entender da forma que foi explicada com mais esclarecimento as minhas dúvidas!
Procuro respostas e sei que a luta é grande, mais o tempo irá tranquilizar mais todos os que não entendem muito sobre tudo isso que está acontecendo.
Que sejam felizes sejam de qualquer forma que escolherem ser.
Muita luz para todos!

Douglas M. Pereira disse...

Adoraria conhecer sua visão da banda.

Anônimo disse...

Parabéns Gutenberg Rita. Explanasse de forma muito respeitosa e amorosa. Sempre pensei que o assunto homosexualidade para algumas pessoas só significa sexo, já os com mais Clareza conseguem ver MB ais além, atroxa de afeto.

Anônimo disse...

No palco das encarnações, viveremos todas as experiencias possíveis, pois evoluímos do átomo ao arcanjo. E para sermos perfeitos precisamos conhecer e viver de tudo. Ser pobre ou rico, grande ou pequeno, branco ou não-branco, doente ou saudável, homem ou mulher, cis ou trans, hetero ou LGBTQI... pouco importa o que somos, o que importa é sermos o melhor que pudermos ser. Este hoje é apenas mais um papel à desempenhar nas múltiplas existências. Humildade, Bondade, Resiliencia e Disciplina devem ser as palavras de ordem para o espírita cristão.

Nildes Cruz disse...

A base que precisamos ter é o bem que devemos fazer, o mundo mais fraterno que precisamos construir, é a real vivência do amarmos uns aos outros como o Cristo nos ensinou. Como vivemos a nossa sexualidade torna-se irrelevante diante disso.

GIAN disse...

Texto muito bom, mas realmente tratando de uma questão muito delicada. acho que acima de tudo, devemos aprender mais a pensar apenas nas nossas vontades e necessidades, assim atingindo a realização espiritual; sem se importar com o que, ou como, ou de que forma nosso semelhante trilha o caminho de sua vida. assim sendo em todos os sentidos.

otrebor disse...

Cada qual busca suas respostas onde se sente confortavel,a maioria, eu as busco a fundo onde doi mexer..e dentre o cristianismo o budismo e o espiritismo..estes dois ultimos sao muito mais harmoniosos com a natureza das coisas e seres.. Sinto-me triste qdo leio publicaçoes de pessoas desesperadas em condenar. Nao há evoluçao ali..

Angel Pereira disse...

Oi, eu tenho dúvidas sobre isso. Alguém pode me esclarecer? Eu ficaria muito grato se vocês "evoluíssem" e não me considerassem como um inimigo por causa das minhas dúvidas (já que eu tenho crença diferente). Se for para ser grosso, nem adianta responder, já me acostumei com meus irmãos evangélicos e vocês não são diferentes. Já aviso também que eu não sei escrever pouco.

Eu sou homossexual, me converti a Cristo, Ele se mostrou a mim em uma experiência numa igreja evangélica e eu O sigo até hoje, já fazem quase 4 anos. É meio puxado, nem sempre é feliz, não tem muita gente pra pedir ajuda (e as que ajudam não sabem o que fazer), mas é um caminho que eu continuo recomendando, porque pelo menos Deus nunca me deixou na mão e foi por Ele que eu me converti, é por Ele que eu me mantenho aqui. Sério, não tem como se arrepender desse Deus. Ele não é o Deus de amor dos contos de fadas que mostram por aí, Ele é bem melhor, eu tenho uma admiração por esse cara.

Eu curti uma página espírita na intenção de aprender mais sobre o espiritismo, não que eu acredite nele. No começo eu até achei que era meio errado, que eu podia me enfraquecer na fé, mas de lá pra cá, quanto mais eu conheço os espíritas, mais eu tenho certeza do evangelho que eu sigo (e isso não é um insulto, mas serve de aviso que eu já sei que vocês não são todo esse amor que vão pregar). Eu queria dar uma "chance" para ver se alguém reponde as dúvidas que eu tive nesse meio tempo. E, quem sabe, responder alguma que vocês possam ter.

Bom, eu queria saber como vocês fazem para lidar com a Bíblia e os versículos em que ela fala sobre a homossexualidade. Tipo, existem pelo menos uns 7 versículos que falam diretamente sobre isso e nenhum deles usa como bom exemplo. Tem duas passagens em Levíticos (18:22 e 20:13), são as famosonas, usadas pelos homofóbicos porque era quando isso era condenado a morte. Tem uma passagem em Deuteronômios 23:17, essa fala mais sobre prostituição, idolatria e imoralidades sexuais, acaba envolvendo homossexualidade no meio. Em Deuteronômios, de novo, tem mais um que fala sobre transgêneros/travestis (22:5). No primeiro capítulo da carta de Paulo aos Romanos, é descrito um costume (meio idólatra) sobre os romanos, onde eles adoravam os deuses deles e no meio disso acabavam tendo relações homossexuais (homem com homem e mulher com mulher), o caso não é visto como exemplo, muito pelo contrário. Em 1 Coríntios 6:9-10 e em 1 Timóteo 1:10 são duas passagens muito semelhantes, onde o mesmo Paulo cita várias imoralidades (uma listinha delas), entre elas está a homossexualidade (eram imoralidades bem conhecidas, não precisava discutir muito sobre elas porque todos já sabiam que não era permitido). Em Judas 1:7, em Gênesis 19:5 e em Ezequiel 16:49-50 é falado sobre o pecado de Sodoma e Gomorra, outro bem querido pelos homofóbicos (e por isso eu coloquei Ezequiel ali), um dos pecados das cidades foi a prática homossexual, não foi escondido em lugar nenhum da Bíblia sobre isso.

É isso daí, como vocês fazem para lidar com esses versículos? Como vocês podem simplesmente ignorar eles? Eu queria muito que eles fossem falsos, já tentei me convencer disso, mas o Espírito Santo me tocou. Já tentei imaginar que por causa das passagens do antigo testamento, hoje era permitido, mas eu vi que nem as passagens do novo falam bem disso, nem um livro de história que eu li (O Sinal - O Santo Sudário) dizia que os primeiros cristãos aceitavam isso (e não é um livro cristão, apesar do tema). Eu já tentei pensar tanta coisa, já pesquisei um monte sobre isso, eu sei citar o primeiro capítulo de Romanos inteiro de cabeça, não tem como Deus aprovar isso segundo a Bíblia. Eu realmente não vejo o mal que fazem dois homens ou duas mulheres, mas eu prefiro Deus mesmo assim. E no fim das contas, deixar isso de lado, por mais duro que seja, me dá uma paz que eu só encontro em Deus.

Heine Allemagne disse...

Pelo que interpretei do texto, não há reprovação e nem aprovação. Tanto homossexuais como heterossexuais estão vivendo experiências. Creio que tudo que se refere a carne se trata de primitividade, e não entendam primitividade como algo que é demérito. Exemplo, ainda comemos animais e isso é um estado primitivo do ser em evolução. O sexo seja homo ou hétero é um comportamento primitivo e obviamente programado a perpetuação assim como a finalidade de fortalecer laços afetivos. Em uma sociedade de macacos por exemplo, existem orgias que reforçam a socialização entre sua espécie. O que para nós parece promiscuidade é ainda para os primatas um sistema de fortalecimento a sobrevivência. O espírito em si não tem sexo e pode reencarnar da forma que desejar homem ou mulher e o que irá viver são escolhas. Como os comportamentos adotados sofrem as influências de cultura que desencadeia validação ou reprovação coletiva, nascer homossexual pode ser sim uma prova/expiação. Para quebra dessas culturas, nascer diferente pode ser uma missão. Sofrer o impacto do choque de cultura pode gerar conflitos existenciais. Então julgar a moral é equivocado e vale lembrar que julgar o próximo é um pensamento primitivo de pessoas que ainda não atingiram o entendimento maior da existência e ensinamentos cristãos, algo que deveria já ser superado a 2 mil anos atras com a nova lei do amor, mas também a isso, cada um a seu tempo. O que resumidamente compreendo do texto é que esses comportamentos e experiências não devem ser estimulados ou reprovados, apenas respeitados, pois é do livre arbítrio de cada um e qualquer influência externa é forçar conclusões que pertencem a outra pessoa decidir e escolher. Quase a altura do Amor o respeito é uma virtude para a evolução.

Anônimo disse...

A base é espírita mesmo e nós espíritas seguimos o ensinamento puro do Cristo que é o amor, a Bíblia tem muitos ensinamentos mas de uma época onde nós seres humanos não estávamos preparados para todas as verdades. Pelo visto ainda não estamos porque em pleno século XXI, ainda temos pessoas se odiando, odiando por etinia, odiando porque tem outra crença, odiando porque não gosta das mesmas coisas e se usando a Bíblia como muleta. Jesus andou com prostitutas, pobres, cobradores de impostos (que era mais odiado do que homosexuais) e com certeza foi julgado também pela igreja da época pois os sacerdotes o detestavam. Então leia mais sobre a vida de Cristo e faça mais como ele, ao invés de se preocupar com o que os outros fazem. A salvação do mundo começa pela sua e como Cristo disse, não julgues para não serdes julgados, pois da mesma forma que julgarem serás julgado.

edimilson borges disse...

Excelente texto, bastante esclarecedor segundo a visão do Espiritismo, doutrina que prega o amor ao próximo. Bom seria se todas as outras doutrinas se preocupassem em explorar o tema "homossexualidade" com tamanho respeito e seriedade.

Anônimo disse...

Adoraria conhecer sua visão da banda.

Humberto Pereira disse...

Bem... precisamos esclarecer algumas coisas: Uma coisa é a opinião de UM espírito e outra é a posição oficial do ESPIRITISMO. Esse texto aqui relatado se trata da opinião APENAS de um espírito denominado Ramatis. Para ser honesto, não a considero equivocada, mas isso não quer dizer que podemos dizer que exclusivamente baseado nessa única opinião, que essa é a posição oficial da Doutrina Espírita. Temos que ser sensatos e pesar bem as coisas antes de sair por aí exagerando determinadas coisas. Oficialmente falando, a Doutrina Espírita não se posiciona com respeito ao homosexualismo. Então, o que a D.E. diz? Bem, segundo a Codificação de Kardequiana, cada um de nós tem o Livre Arbítrio de fazer o que quiser com a nossa vida. E isso é um direito inalienável de todo ser humano (Espírito) criado por Deus. Entretanto, essa liberdade vem acompanhada de uma coisa chamada RESPONSABILIDADE. E, segundo essa responsabilidade, todo ato/pensamento cometido por nós tem uma consequência. É a Lei de Causa e Efeito. "O plantio é livre... mas a colheita é obrigatória". Se você planta abacaxi... colhe abacaxi! É uma questão de lógica! Portanto... não nos cabe a mim ou como a qualquer pessoa ficar julgando se essa ou aquela pessoa está certa ou errada. A Lei Divina está em nossa própria consciência e ao final de uma encarnação, somos nós mesmos que enfrentaremos as consequências dos bons e dos maus atos cometidos. Assim é a Lei Divina. Essa é a posição oficial da Doutrina Espírita. Opiniões individuais têm, claro, sua importância, mas não passam de opiniões individuais... que podem estar coerentes com a realidade espiritual... ou não! Muita paz!

Wellison Leal disse...

Vivemos numa sociedade que apregoa a paz, mas tolera dois homens se odiando e renega dois se amando. Ao meu ver, a visão homofóbica reside na inveja da possibilidade da felicidade alheia. Isso corre mediante relacionamentos homossexuais e inter-raciais.

Bianca disse...

Sou hetero e concordo com vc.

Bianca disse...

Meu raciocinio vai de encontro ao seu. Estamos em eterna evolução e para isso precisamos padsar por várias etapas e experiências....afinal o espírito é eterno e não tem sexo.

Thais disse...

Sim eu tb, qual a visão melhor sobre o assunto pq eu não vejo outra mais explicita e racional!?

Thais disse...

A tua elucidação tb foi muito boa não desmerecendo a do Ramatiz parabéns irmã de fé.

Cleber Bisconsini disse...

Acredito no amor isso q interessa

Cleber Bisconsini disse...

Disse tudo

Anônimo disse...

Ótimo texto msm, temos muitas outras coisas para se importa nesse planeta de espiação doque fica com homofobia amo a doutrina espirita pois aprendo cada dia mais.

Anônimo disse...

Sou espírita desde que nasci. Tenho 36 anos. Sempre escutei em todas as casas que frequentei que homossexual é um desvio do espírito e que o mesmo iria sofrer as consequências dos seus atos pois está infringindo uma lei natural , a lei da reprodução. Juro que fiquei muito mais feliz e confortável com este texto. Pela primeira vez na vida me esclareceu mais de os livros básicos da Doutrina. Concordo plenamente...e acho que a banda toca assim...do contrário não teríamos tantos homossexuais nascendo no planeta. O problema não é o se o e sim o desvio que você faz dele, o abuso.

Anônimo disse...

Temos no nosso íntimo, na consciência do que é certo e errado a essência das leis de Deus e não encontro, no intimo do meu ser, aceitação da homossexualidade como algo normal. Sinto muito mas não concordo. Tem algo errado sim e precisamos descobrir para poder entender. Não tenho nada contra nem sou homofobico mas algo no meu intimo me faz reprovar. Que Deus conceda luz e esclarecimento sobre esse assunto tão polêmico.

Anônimo disse...

Galera , o que importa acima de tudo e o respeito , ja fui muito preconceituoso por pura ignorância , ate conviver e ser amigo de um homo que dispensava comentários de postura e caráter e fui ficando cada vez menos ignorante com o passar dos anos , o que acontece e que temos homo e heteros babacas e escrotos e homo e heteros gente boa demais...nao existe essa de um ou outro e sim bom ou mau caráter . Assim que penso hj em dia..e quem sou eu pra julgar ate os maus caraters ...espero sempre evoluir pra um dia não julgar ninguém e conviver com as diferenças... To me esforçando pra,isso se Deus quiser

Fabio Henrique disse...

Jesus nunca julgou nenhum defeito alheio devido ao seu dicernimento e sabedoria impecavel diante das ovelhas, ou seja, todos nos que somos filhos do Pai temos nossos dificuldades e qualidades, mas não podemos colocar a culpa no Criador sobre uma escolha moral e comportamental no que escolhi para minha vida. Deus deixou o exemplo de Jesus Cristo para nos seguirmos e com fé no mesmo ganhar a evolução, salvação eterno no reino do pai. O que vejo que é uma interpretação muito diferente do que foi deixado como exemplo, uma alma vem ao mundo e ja vem com proposito de ser (homem ou mulher) ser homoxessual é uma exceção a regra, pois Deus é tão perfeito que uniu um homem e mulher para gerar a vida e de outra forma é contra-mão da ideia do Altissimo. Cada um pagara pela suas dificuldades que aqui passamos. Nos não estamos no parque de diversões e sim temos total escolha do que queremos para nossa vida (certo ou errado). Me desculpe, mas este texto do Ramatis esta completamente fora da ideia do que se prega na Sagrada Escritura.

Celia Alves disse...

Extraordinário texto. ..claríssimo...ameiiii

Ilton Machado Borges disse...

Mais vale um homossesual ético do que o hetero sem ética! A questão não passa pela sexualidade que manipula força criadora, mas mas pela capacidade de externar o amor em suas mais diversas expressões!

Elisangela Bezerra disse...

Ótimo texto clariou ainda mais minha mente, gratidão.

Fabiana Lima disse...

Grata por suas palavras, tão esclarecedoras e sinceras quanto do próprio texto. Pensamentos como os teus tomem conta da humanidade. Precisamos de mais tolerância, compaixão, empatia e amor!

Anônimo disse...

Anonymous acompanhei todo o desenrolar do parecer e concordei com muitas coisas q escreveu, só q não entendi se vc é hetero ou homo, claro que isto não é o fator importante mas é porque horas eu entendi q vc tinha um companheiro e era feliz e horas entendi q vc não aceitava em ser homo. Caro o mais importante independente da sua opção é grandeza do seu coração e a sua humildade em estar sempre se colocando como um aprendiz rumo a evolução. Abçs

Anônimo disse...

Angel, se você encontrou paz dessa forma, não tem pq ter dúvidas ou procurar/rebater outras crenças/valores. Quem encontra a sua verdadeira paz, não tem do que temer ou duvidar, independente da escolha que fizer.