As almas que se amam se encontram em outra vida?



Na espiritualidade o sentimento é de uma força e suavidade que mostra o que existe entre os espíritos que o sentem. Tanto mais fácil perceber este elo afetivo, quanto mais desenvolvido moral e espiritualmente é o espírito.

Já durante a encarnação, há uma limitação imposta pelo esquecimento do passado, uma vantagem que Deus nos proporcionou para que o livre-arbítrio fosse pleno em nós. Quando encarnamos esquecemos do passado, e deixamos adormecidas lembranças e sentimentos.

Se duas almas que se amam se encontram, talvez não venham a perceber imediatamente a importância real de uma na vida da outra, mas sentirão empatia, simpatia ímpar e profunda, o que as faz pender para a pessoa que acabaram de conhecer na nova encarnação. O reconhecimento de um amor de milênios pode ser forte e imediato, mas em geral, para nos facilitar a vida, surge doce e suave, lenta e profundamente.

O fato de duas almas terem aprendido a amar-se e que se procuram para continuar juntas sua jornada – encontrarem-se na encarnação, não significa necessariamente que devam ficar juntas, enquanto a experiência terrena estiver em andamento. Há reencontros que acontecem para que formem família, exemplifiquem o sentimento, evoluindo e dando, uma à outra, força nas provas, expiações e missões que vieram cumprir. É bem comum também que afetos verdadeiros não se encontrem, que estejam, cada um, vivendo experiências com outras almas, de modo a ampliar os laços do amor fraternal. Neste caso, costumam aliviar a saudade através de visitas em espírito (sonhos).


Há ainda outra possibilidade, em geral prova bem difícil por exigir o mais amplo sentimento de resignação, coragem e amor ao próximo: duas almas encontrarem-se, reconhecerem-se, amarem-se e não poderem ficar juntas porque já estão comprometidas com outras pessoas e famílias.

E porque Deus faria isso?

Deus não fez. As próprias almas pediram esta prova como exercício expiatório e prova de resistência de suas más tendências, em geral, o egoísmo.
Imaginemos…


Duas almas aprendem a se amar; almas gêmeas que se tornam, escolhem experiências que irão fazê-las evoluir. Espíritos ainda em progresso, possuem defeitos morais que estão trabalhando nas existências. Nascem juntas, separadas, na mesma família, em outras, entre amigos ou inimigos. Entre tantas vidas, numa optam por temporariamente (o que são os anos de uma encarnação perante a imortalidade?) por encarnarem separadas. Casam-se com outras pessoas, formam famílias. Mas um dia encontram-se. Reconhecem-se. O amor ressurge. Seus compromissos espirituais são logo esquecidos, desejam-se. Eles deveriam resistir à tentação de trair, de abandonar os companheiros, os filhos, os compromissos, construindo falsa felicidade sobre lágrimas alheias. No entanto cedem. Traem, abandonam, fogem… não importa. Querem ser felizes e isso lhes basta. É o egoísmo e a falta de fé no futuro, que lhes dirige a ação.

Mas não há real felicidade senão a conquistada no direito e na justiça. Se vencerem a tentação de fazer o que citamos, terão no futuro o mérito de estar uma com a outra. Se se deixam arrastar pelas paixões, estarão fadadas a novos afastamentos, lições dolorosas.

Escolhem esta experiência porque a visão que têm na espiritualidade é diferente da limitada visão da encarnação. Melhor abrir temporariamente mão da presença amada, já que o afeto não se esvai na ausência, do que abrir mão de estarem juntos em várias vidas e seus intervalos. Sendo o egoísmo o único motivador (e não o amor) da escolha de ficarem juntos a qualquer preço, constrói-se sólido castelo sobre a areia das ilusões. Fatalmente ele desmoronará, e será preciso reconstruí-lo.


22 comentários:

Joyce Matheus Marco disse...

Muito bom

Anônimo disse...

Lindo texto!

Anônimo disse...

Passei por isso, foi mágica a sensação de encontra-lá.

Anônimo disse...

Estou passando por isso a anos....dói muito, mais estou conseguindo manter minh família unida... Graças à Deus. ..

Odilia Silva disse...

Esclarecedor.

Saúde e qualidade de vida disse...

Triste

Anônimo disse...

Bom. Aconteceu.

Anônimo disse...

Será que isso funciona quando são pessoas do mesmo sexo???
Pois entrou em minha vida iam pessoa que mudou tudo é empatia entre nós e nítida nos olhares parece q nos conhecemos a anos de outra vida.

Anônimo disse...

Muito esclarecedor. No entanto para poder compreender é preciso ter a certeza da imortalidade da alma e a aceitação de quê a felicidade não é desse mundo. É preciso crer em Deus e ter muita fé.

Daiane disse...

Show !!!! Essa visão que demorei mas aprendi com o tempo e amadurecimento.

Tanea Mariano disse...

Bela e profunda reflexão. Que aprendizado difícil este!

Anônimo disse...

Perfeito

Anônimo disse...

Eu vivo algo assim... A alma que ilumina meu coração é casado com outra... Sabemos que nos amamos, mas nos respeitamos e nunca nos tocamos sem ser como amigos. As vezes sonho com ele... Aprendemos a ser feliz mesmo distante.

Anônimo disse...

É muito difícil. ..

ALEXSANDRO & ROSELY MEIRELES disse...

Um texto bastante esclarecedor. Deus é infinitamente sábio, bom e justo.

Anônimo disse...

Esse texto me veio no momento certo. B.

gracinha disse...

Eu acredito,pois sou kardecista.

Anônimo disse...

Perfeito! Explicações claras e correntes.

Anita Rodrigues disse...

Acho que isso está acontecendo comigo.
Porém não estou com a pessoa, e nem tenho família ainda.
Mas queremos ficar juntos, mas algo nos separa.

Anônimo disse...

Lindo isso como e a vida da espiritualidade

Lorraine Caetano disse...

Sei que já encontrei minha alma gêmea, vivemos um lindo romance, mas acabamos nos separando, nunca parei de pensar nele e ele em mim, porémdu e ele já havíamos arrumado outra família, ele estava disposto a qualquer momento largar tudo por mim, porém eu tive medo... Nesse meu medo ele entrou em depressão e se matou... Nunca parei se pensar nele, de querer saber o que virou da alma dele por ele ter se tornado um suicida... Prefiro acreditar que ele encontrou o caminho da paz, porém em pensamentos tenho um elo muito grande com ele, como se fôssemos nós encontrar a qualquer momento e viver nossa história... Jefferson como eu te amo, como eu smp te disse... Hoje, amanhã e sempre... Always Maktub

Anônimo disse...

Eu vivo isso a 8 anos, tive um namorado quando eu tinha 20 anos e ele 18, fic
Amos juntos 1 ano e eu nunca fui apaixonada tão intensamente cmo fui por ele,eu não tinha ideia do tamanho desse sentimento.
Quado terminamos, eramos muito jovens, e ele era só um garoto inconsequente, eu conheci outro rapaz que era luz na minha vida, só me fazia feliz, mas eu nunca esqueci o outro, sonhava e sonho com ele com muita frequência, passei 4 anos com esse outro
rapaz,e terminei pois não o amava.
Hoje faz 8 anos sou casada com outro homem que amo muito, tenho um bebe lindo, mas ainda sonho com ele.
Exatos 8 anos sonhando com ele, sempre estamos nos reencontrando e com muitas saudades um do outro, e nos meu sonhos sempre parece wue chegou a hora de ficarmos juntos, nos abraçamos muito é um sentimento tão forte e bom, que quando acordo parece q realmente vivi aqui, e sinto muita vontade de ver eke conversar.
Mas na vida real ele nem olha na minha cara,ja encontrei em alguns lugares anos atrás mas nunca chegamos perto um do outro, parece um imãs q nao se encostam!!
Gostaria muito de saber o que pode ser, se temos uma ligação forte, ou se meu subconsciente não esquece dele.
Alguém me ajuda por favor, nunca contei isso pra ninguém. Nso aguento mais sentir isso!