A Visão Espírita do aborto


 Por: Mundo Maior
  A posição entre aborto e espiritismo é bem definida e não há nenhuma dúvida sobre o erro que é a interrupção arbitrária de uma vida durante a gestação. Allan Kardec perguntou aos espíritos se consiste crime a provocação do aborto. A resposta foi publicada na questão 358 do Livro dos Espíritos: “Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando“.
   Uma resposta mais clara que essa é impossível, mas como sempre acontece em temas polêmicos, as pessoas tentam encontrar alternativas ou brechas para justificar seu comportamento. O aborto seria justificável em caso de fome ou super população na terra, correto? Errado. Eis uma resposta a esse respeito na questão 687: “Não, Deus a isso provê e mantém sempre o equilíbrio. Ele coisa alguma inútil faz. O homem, que apenas vê um canto do quadro da Natureza, não pode julgar da harmonia do conjunto.”
   Atualmente no Brasil muito se fala a respeito do aborto em caso de estupro. Embora não haja uma resposta específica sobre o assunto no Livro dos Espíritos, é possível deduzir um entendimento através da interpretação da Doutrina e de outras respostas encontradas na Codificação.
   No caso do estupro, é preciso perguntar primeiro se foi a criança quem cometeu o crime, pois é ela quem pagará a pena com o aborto. Sendo assim, mesmo que a legislação humana dê respaldo ao aborto em caso de estupro, o espiritismo é absolutamente contra. No caso de estupro, quando a mulher não se sinta com estrutura psicológica para criar o filho, cabe à sociedade e aos órgãos governamentais facilitar e estimular a adoção da criança nascida, ao invés de promover a sua morte legal. O direito à vida está, naturalmente, acima do ilusório "conforto psicológico" da mulher (um dia, nesta ou em futuras reencarnações, a consciência irá pesar e a cobrança será efetuada e então o "conforto psicológico" dará lugar a dor do arrependimento - é comum em reuniões mediúnicas, casos em que a mãe que aborta passa a ser obsidiada pelo Espírito que iria reencarnar e casos de mães desencarnadas em arrependimento pelo ato praticado. O aborto gera apenas histórias dolorosas).
   Para finalizar, vamos falar sobre o aborto em casos de má formação ou de algum tipo de deficiência intelectual. Muito se fala atualmente sobre o aborto nestes casos ser justificável, mas o espiritismo é categoricamente contra. Conforme a resposta a essa pergunta, disposta na 372, que fala sobre o “aborto piedoso”, a Codificação esclarece o seguinte: “Os que habitam corpos de idiotas (como eram chamados no século XIX os deficientes mentais) são Espíritos sujeitos a uma punição. Sofrem por efeito do constrangimento que experimentam e da impossibilidade em que estão de se manifestarem mediante órgãos não desenvolvidos ou desmantelados.”
   O único caso de aborto aceito pelo espiritismo é quando a gestação coloca a vida da mãe em risco de forma iminente. Segundo a resposta 359, “Preferível é se sacrifique o ser que ainda não existe a sacrificar-se o que já existe”. É preciso lembrar, felizmente, que com a evolução da medicina tais casos tornam-se cada vez mais raros.

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre o Clube do Livro Letra Espírita. Associe-se para receber os melhores livros espíritas em casa.

22 comentários:

Anônimo disse...

Sou totalmente contra o aborto.Infelizmente tive um aborto espontâneo aos três meses de grstaçao e ate hoje sofro muito com isso pois desejei muito esta criança mas ela não me quis.

Silvia disse...

Você não deve sofrer, a hora das coisas acontecerem, só Deus as faz.Não acredito de jeito nenhum que a criança não a quis, mas se assim aconteceu, foi por alguma razão muito maior e que você só vai entender daqui uns tempos! NAMASTÊ!

Unknown disse...

Querida não pense que a criança não lhe quis! Pense que o tempo que passaram juntas foi o suficiente para que ela cumprisse sua missão. Pode ter certeza que ela lhe será eternamente grata pelo amor que lhe foi dedicado; Pense nela com carinho vcs vão se reencontrar.... Bjs

Liliane Quirino disse...

Tbm sofri um aborto espontaneo, meu BB ficou comigo apenas 3 meses. Seu coraçãozinho parou de bater ainda no meu ventre!!! Era o meu Miguel...6 meses após esse episódio engravidei novamente e hj meu Miguel está com 20 dias de nascido em meus braços. Deus sabe de td...td tem seu tempo certo e sua hora exata de acontecer.

Anônimo disse...

Esse assunto é bem polêmico, envolve muitas coisas, como a sociedade, a justiça, religião, o direito da mulher... Bem, sou espírita, embora esteja um pouco afastada. Na minha opinião, o espiritismo precisa se atualizar, certas coisas me soam "atrasadas" de certa forma. Vejo espíritas com 30 ou mais anos de estudos, com uma mentalidade fechada, não aberta aos acontecimentos atuais. No caso do aborto, eu vejo assim, eu posso ser contra, sim, ao MEU próprio aborto, mas não posso me intrometer na decisão de outra pessoa! Portanto, por qual razão vou ficar por aí fazendo a política de SOU CONTRA O ABORTO! O aborto ser considerado crime só vai funcionar para aquelas mulheres pobres, pois as que têm recursos vão continuar fazendo... E se há o livre arbítrio, e por sua própria escolha, a mulher decide interromper a gravidez, será que não há aí também algum desenrolar dos acontecimentos, envolvendo outras vidas e fatos que dizem respeito aos envolvidos? E se a mulher cometeu tal prática, não é ela somente ela, que irá responder por isso? Seja lá como for, de acordo com os planos divinos. Acho que vale da consciência de cada um, de acordo com o que acredita, e ninguém pode decidir isso por outra pessoa, nem mesmo a religião. Abraços fraternos!

J.Chiavegati disse...

Aborto, sou totalmente contra, tanto quanto no aspecto da sociedade , quanto no aspecto religioso . A mensagem que li acima , a respeito que o espiritismo precisa se "atualizar" está totalmente errada . O espiritismo traz a mensagem dos espíritos ou seja , a mensagem do criador do Universo, como disse Kardec, "Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face em todas as épocas da humanidade" . Amiga, acaso tivesse comentado que, as pessoas precisam atualizar-se ( estudar )concordaria perfeitamente. Aborto é crime , foi crime e será sempre um crime, se não aos olhos da sociedade , daquelas que carregam no seu ordenamento jurídico tal "permissão" , mas será na justiça Divina. Quanto ao trecho "a mulher decide interromper a gravidez, será que não há aí também algum desenrolar dos acontecimentos, envolvendo outras vidas e fatos que dizem respeito aos envolvidos? " pode até ser que você tenha razão, aos olhos da lei de retorno, todavia, não sejamos nós, a ser o instrumento na execução dessa lei, pois sofreremos igualmente no futuro e responderemos muito mais por termos um entendimento maior sobre o assunto. " A quem muito foi dado muito será pedido".
Somente o amor é capaz de construir bases para a felicidade que queremos almejar .

Silvia disse...

Eu também sou contra o aborto, e contra a legalização também. Analisando do ponto de vista espiritual a legalização faria com que médicos tivessem que responder por crimes na lei de causa e efeito, enfim fica claro para todos os lados o quanto a prática acarretaria danos para todos envolvidos. Mas concordo que o espiritismo precisa se atualizar, não podemos ler a codificação como líamos a bíblia e perdermos de vista o Evangelho. O texto classifica o sofrimento da mulher como "ilusório conforto psicológico da mulher", no caso de estupro a Doutrina nem fala nada e tem que se considerar o crime que essa mulher sofreu. Não considero essa uma forma justa de se referir ao tamanho desconforto nada ilusório que ela passou. A nossa legislação ja prevê legalidade nesses casos, então acredito que essa opinião precisa sim se atualizar... aos conceitos do Evangelho!

blog do bebê disse...

Concordo, é muito complicado, por exemplo, levar uma gestação vinda de um estrupo. Acredito que precisamos ter bom senso...

Pâmella Juliene disse...

Quando ao "ilusório conforto psicológico" creio que estejam se referindo ao sofrimento q a mulher irá passar por ter cometido o aborto. Agora ela pode até se sentir "melhor" optando pelo aborto, mas no futuro irá sofrer as consequências. É realmente muitíssimo complicado neste caso.

Anônimo disse...

Eu tive minha bebe com 25 semanas d gestação kuando descobri k estava gravida no inicio nao aceitei mais pensei em abortar mas nao tive coragem ; kuando fiz um ultra com 23 semanas descobri k estava com pré_eclampsia m internarão i com 25 semanas fizerão minha cesaria i tirarão ela pra m salvar i tentar sauva_la hoje ela esta com 21 diase sofro dia após dia resando a todo momento vendo o sofrimento dela entubada cheia d aparelho peço a Deus pai todo poderoso k nao m tire essa alegria k m deixe trazer ela pra casa c eu pudece eu trocaria d lugar com ela daria minha vida por ela pois a amo muinto peço perdão a Deus pelos maus pensamentos i acredito k cada dia vivido é uma vitoria não gosto nem d imaginar k posso perda_la a kualker momento mais m pergunto será um castigo ou tenho k passar por isso?????

Fernanda Durante disse...

Há 22 anos tive um aborto espontâneo que até hoje me trás fortes emoções. Era meu bebē amado. Hoje já sinto paz em pensar que ele ficou comigo apenas o tempo que lhe faltava e isso me trouxe grandes lições de vida.

Pedro Henrique Borges Xavier disse...

Estava me perguntando se alguém pensa como eu e encontrei uma pessoa.

Anônimo disse...

Pelo que percebi, alguns irmãos, querem que o evangelho segundo o espiritismo se atualize, e passe a ser as favor do aborto em certos casoa. A meu ver é o mesmo que querer que a lei do retorno, seja promulgada. Matar e crime, é errado, orante Deus, os homens e o universo, ponto. Agora, o que as pessoas farão em diferentes sircunstancias é responsabilidade de cada um. Nesta vida ou em outra, vão ter que responder, por seu crime. Isso faz parte do universo, não importa por qual razão se matou, importa que o fato foi consumado. E se i motivo da gravidez foi um estupro, será que essa nossa irmã também nao está resgatado uma dúvida passada? Este é meu ponto de vista.

Anônimo disse...

O que deve fazer uma pessoa que cometeu aborto sem nenhum desses motivos debatidos acima? Pura e simplesmente porque a gravidez não foi desejada e iria "acabar" com a sua vida de jovem?
Qual a pena a cumprir pelo arrependimento?
Como ter coragem de assumir esse grande erro?

Anônimo disse...

Sim existe o livre arbítrio, mas não é por isso que sairemos por ae com os olhos vendados para os acontecimentos, achando que não é nosso problema. Não nos cabe julgar nenhum ser e sim ajudar, ajudar para o bem, já disse Jesus Cristo: amai uns aos outros, como vós amei! Então, não sejamos egoístas, pensemos no sofrimento alheio e como podemos ajudar. Sempre evoluindo para o caminho do bem. Acredito eu que nenhuma forma de assassinato de um ser que não tem como se defender, seja para o bem. O mundo precisa ser mais solidário, e não assassino. Não ao aborto, eu digo!

Carol Tranças afro e alongamentos disse...

Queria só que me esclarecem uma coisa:é verdade que o espírito só encarna aos três meses de gestação?

Anônimo disse...

Prezada Silvia, se você conhece a doutrina, há de se lembrar que na lei de ação e reação, ou de causa e efeito, como queira, está intrínseco que neste caso, seria o estupro ou abuso, meramente uma questão de plantio e colheita, ou não?

Anônimo disse...

Tenho dúvidas ... uma amiga me pediu dinheiro emprestado ... eu não perguntei para o que era, eu simplesmente emprestei ... quando fui entregar o dinheiro tomei conhecimento que era para um aborto ... não sou a favor ... desde então minha vida virou de perna para o ar ...

Vera disse...

Não se martirize tanto minha irmã. Deus não nos castiga, Ele sabe que somos fracos. Ame sua filhinha com toda força do seu coração e procure aceitar a vontade de Deus, seja qual for. Dê muita paz ao seu anjinho. Ela vai ficar aqui o tempo necessário. Se ame e ame sua filhinha. Deus Pai conhece as duas e sabe o que é melhor para vocês. Não se desespere, nem se culpe, tudo tem uma razão. Um beijo e fique em paz com seus sentimentos.

Edilson disse...

Usemos nosso aprendizado para conduzir nossas opiniões e consequentes ações, caso contrário estaremos apenas lendo e não aprendendo. Sugiro que mudemos nosso ponto de vista passemos a nos ver mais como seres de infinitas vidas passando por mais uma e não como humanos que continuarão sua vida no plano espiritual.
Considerando-se que Deus nada faz de inútil, também não será inútil a permissão dada para que uma provação se realize apesar da demanda que causará a quem a ela se submeter.
Considerando-se que o espírito se liga ao corpo durante a fecundação, o embrião já é o envólucro material de uma pessoa, uma destinação, uma permissão para a experiência carnal que não nos cabe por fim. Há literatura suficiente explicando o que sofre o espírito encarnado, ainda que no estado de embrião, quando ocorre o aborto provocado. Logo, quando escolhemos pelo fim forçado de uma gestação estamos escolhendo o primeiro que sofrerá intensamente, pois há consequências para todos os envolvidos.

Sobre a necessidade de atualização do Espiritismo. O Espiritismo não precisa de atualização, no máximo de informações subsequentes àquelas já passadas e que já podemos assimilar. Se assim não for estaremos falando de ensinamentos que dependem dos nossos anseios. Os espíritos superiores estão muito além do que vivenciamos hoje na terra, buscam nos informar sobre os fatos da vida verdadeira. Não constroem uma religião em busca de aceitação, platéia ou seguidores, seus ensinamentos são relatos de seu conhecimento e por isso não dependem do tempo em que são transmitidos. É certo que há tempo para tudo, por isso nem tudo pode nos ser revelado porque há muito que pode nos prejudicar mais do que ajudar. Imaginem como a humanidade a época de Kardec usaria o conhecimento sobre o DNA nas guerras que se seguiram. Algumas de nossas interpretações podem sim precisar de revisão pois nosso entendimento depende de nosso arcabouço cultural, mas interpretação, se tendenciosa, implica na criação de argumento, não necessariamente uma busca por conhecimento.
Abortos espontâneos também são provas para ambos, mas que temos que encarar com o máximo de maturidade possível e confiança em Deus para que não haja sofrimento (também para ambos) além do necessário. Fé é o que realmente ajuda em momentos como esses, pois nos faz entregar nas mãos de nosso Pai o que não está ao alcance de nossas ações ou entendimento.
Reflitam um pouco:
Quanto sofre um filho que perdeu toda sua família? Quanto sofre um filho que foi agredido e expulso de sua família pelas mãos de seus pais?
Quanto sofrem pais que perderam um filho? Quanto sofrem pais que perderam um filho por decisão própria?
Por vezes lições e remédios espirituais são tão amargos que somente a disciplina e o conforto das palavras de nossos irmãos mais velhos, nossos guias espirituais, nos faz acatar. E só o fazem por saberem ser o melhor para nós, apesar de toda a dor consequente.
Aceitam mais facilmente os fatos doloridos da vida quem já assimilou que sabemos muito pouco, que não alcançamos a elevação suficiente para deixar de pensar em nós mesmos e amar ao próximo. Muito menos o próximo que sequer tem um rosto.

pricilla113@hotmail.com disse...

Oi

Moisés Santos disse...

Não podemos decidir por outra pessoa, mas também não podemos patrocinar o que a nossa consciência considera como verdade.
Cabe-Nos,sim, a divulgação adequada e a realização da nossa educação como espíris os. Não há nada fechado na Doutrina Espírita, somente em nossas considerações egoístas e acomodadas perante a própria transformação pessoal.