Espiritismo e Política: Conheça exemplares políticos espíritas


Permitimo-nos recordar que reconhecidos trabalhadores do movimento espírita desempenharam, com méritos, atividades políticas junto aos poderes públicos. Citaremos apenas três deles:

1. Cairbar Schutel – Conhecido como o “Bandeirante do Espiritismo”, fundador da Revista Internacional de Espiritismo – RIE (1925), do jornal O Clarim (1905) e da editora do mesmo nome. Na inauguração do seu Memorial ocorrida em 13 de novembro de 2013, foi feita referência aos documentos que mostram o trabalho político/social desenvolvido na cidade de Matão, da qual foi seu primeiro prefeito. Como um dos pioneiros do Movimento Espírita no Brasil, Cairbar Schutel afirma, em publicação da RIE, em 1929, que “Em política, em ciência e em religião, só há um norte a seguir, a verdade”.

2. José de Freitas Nobre – Advogado e jornalista nascido em fortaleza. Em São Paulo, foi vereador, vice-prefeito e eleito deputado federal, exemplificando, na política, honestidade e retidão de caráter. Publicou três livros espíritas e foi fundador e editor durante vinte e seis anos da Folha Espírita, jornal que circula até nossos dias.

3. Adolfo Bezerra de Menezes – Conhecido como o “Médico dos pobres” e como o “Kardec brasileiro”, foi Presidente da Federação Espírita Brasileira em 1889 e de 1895 a 1900. Conheceu o Espiritismo em 1872. Nessa época já havia iniciado sua trajetória política, que se estendeu até 1885. Cargos ocupados: Vereador, Presidente da Câmara Municipal da Corte e Deputado Geral, tendo sempre agido em favor da justiça e da honestidade. Citado por Freitas Nobre em 1981, Bezerra de Menezes teria afirmado: “Para nós, a política é a ciência de criar o bem de todos, e nesse princípio nos firmaremos”.


Apoiado na moral evangélica e sem comprometer-se com legendas ou organizações partidárias, o Movimento Espírita pode contribuir, no campo das ideias, para a solução dos problemas políticos e sociais que surgem, naturalmente, no processo da evolução planetária.

..

Um comentário:

Heliane Trierweiler disse...

Infelizmente, considerando o momento que o Brasil atravessa, é uma pena que nossos políticos desconheçam o verdadeiro significado da política.