A visão do Espiritismo sobre a Cremação



Por definição, a palavra “cremar” significa incinerar, destruir pelo fogo, especialmente cadáveres humanos, visando sua redução a ossos. Aceita por alguns como opção de um funeral, aprovada ou recusada por diversas religiões como um ato anti cristão, quer por fatores éticos, sociais e/ou culturais, tanto a realização da cremação do corpo após o desencarne como de ossadas vem aumentando, sendo considerados procedimentos comuns nos países reconhecidos como Cristãos.

Para o Espiritismo, o processo de desencarne é uma passagem nos ciclos sucessivos das reencarnações, e as preces podem auxiliar o espírito nesse processo, que tem a sua duração e grau de perturbação variável. Cada religião apresenta a sua visão de morte, e o Espiritismo segue os elementos da tradição cristã ecumênica, que permeiam nossa cultura brasileira latino americana.

Tudo aquilo que se fizer, seja um sepultamento específico, seja a celebração de uma missa de sétimo dia, sempre fará parte da tradição cultural das pessoas, já que, quanto ao sepultamento, não existe nenhum dogma relacionado a rituais específicos e às manifestações posteriores. Considerando que o Espírito possa ainda estar próximo ao corpo, podendo até, dependendo do seu nível de esclarecimento, estar acompanhando o seu sepultamento, basta o respeito ao cadáver.

Tal postura é universalmente adotada por todas as sociedades, pois todas elas o têm na forma de respeito ao corpo do falecido, o que é o bastante para o Espiritismo. Mas, se esse nível for muito limitado, isso pode causar perturbação ao espírito ao assistir seu próprio sepultamento. Dessa forma, todo o respeito possível ao cadáver é sempre positivo, e as preces, tanto de familiares como de amigos ou anônimos que vibrem pelo seu bem estar, poderão auxiliar nesse desequilíbrio.

No livro “O Consolador” – Pergunta 151, – “O espírito desencarnado pode sofrer com a cremação dos elementos cadavéricos”? Através de Chico Xavier, Emmanuel responde que: – “Na cremação, faz-se mister exercer a piedade com os cadáveres, procrastinando, por mais horas o ato de destruição das vísceras materiais, pois, de certo modo, existem sempre muitos ecos de sensibilidade entre o Espírito desencarnado e o corpo onde se extinguiu o “tônus vital”, nas primeiras horas sequentes ao desenlace, em vista dos fluídos orgânicos que ainda solicitam a alma para as sensações da existência material”.

EM “Lições de Sabedoria” – CAP. IV – Corpo na Transição, suicídio e reencarnação”, Dra. Marlene Nobre pergunta a Chico Xavier, se o espírito sente os efeitos da cremação do corpo físico, e quantas horas devemos esperar para efetuar a cremação, e Chico Xavier responde: – “O abnegado benfeitor Emmanuel, em outra ocasião, questionado sobre o assunto, afirmou que o tempo ideal para a cremação do corpo, desocupado pelo inquilino ou pelo espírito que o habitava é de 72 horas, de vez que, além da chamada morte clínica, o espírito liberado, em muitos casos, ainda está em processo de mudança, retirando aos poucos os remanescentes da sua própria desencarnação”. No caso em exame, será importante que o corpo seja mantido em câmara frigorífica, evitando qualquer indício de decomposição.

Em “A Vida no outro Mundo” – Cairbar Schutel, baseado nos ensinamentos do Espiritismo, mostra que: “A alma é o Espírito encarnado, que a extinção da vida orgânica acarreta a separação do Espírito em consequência do rompimento do laço fluídico que o une ao corpo, mas essa separação não é brusca. O fluido perispiritual, só pouco a pouco se desprende de todos os órgãos, e assim a separação só é completa e absoluta quando não mais reste um átomo do perispírito ligado às moléculas do corpo. A sensação dolorosa da alma por ocasião da morte está na razão direta da soma de pontos de contacto existentes entre o corpo e o perispírito, e por conseguinte também da maior a menor dificuldade que apresenta o rompimento”. Portanto, não é preciso dizer que conforme as circunstâncias, a morte pode ser mais ou menos penosa.

Não dispomos de outras recomendações precisas, ou informações absolutas sobre os cuidados a serem tomados junto ao cadáver a ser cremado, ou quanto à recusa ou aceitação desse processo, além das aqui apresentadas. O Espiritismo é o único que nos descreve, através do conhecimento das leis que regem as relações entre o Espírito e a matéria, o fenômeno fisiológico da separação entre o Espírito e corpo.

Para o Espiritismo não existe nenhuma objeção à doação de órgãos, necropsia ou até à própria cremação.


Assim todos precisam fazer as suas escolhas baseados nesse e nos seus próprios conhecimentos, e na dúvida, consultar alguém mais experiente dividindo informações sobre a Doutrina Espírita, tomando uma decisão com a tranquilidade que isso possa trazer, lembrando que no desprendimento, a bagagem moral e a consciência tranquila, é o mais importante.


Clique Aqui e associe-se ao Clube do Livro Letra Espírita e receba no conforto do seu lar maravilhosos livros que iluminam: www.letraespirita.com.br

23 comentários:

Anônimo disse...

Difícil essa decisão.

martha dos Santos trindade disse...

Se é por ai,que o espirito está ligado ao corpo depois da morte,não só na cremação,ao ser enterrado você senti e assisti tudo??? Então qualquer sepultamento deveria esperar 72 horas,não concordo...

Anônimo disse...

Acredito na doutrina espírita queria fazer algumas perguntas..…...

Elaine Mitt disse...

Excelente matéria sempre tive a intenção de formalizar o meu desejo de ser cremada,mas me questionava se esse seria o melhor caminho.Hoje tive mais clareza e referências sobre como esse processo deve ser conduzido. Obrigada e parabéns!

Elaine Mitt disse...

Excelente matéria sempre tive a intenção de formalizar o meu desejo de ser cremada,mas me questionava se esse seria o melhor caminho.Hoje tive mais clareza e referências sobre como esse processo deve ser conduzido. Obrigada e parabéns!

Anônimo disse...

Nunca estudei,o espiritismo. Mais concordo c q foi exposto aqui.

vazubel disse...

Pelo visto, respeitando-se as 72 horas recomendadas, não há objeções à prática da cremação.

Anônimo disse...

Muito importante, esta informação.

Angela nascimento disse...

Otimo esclarecimento .

Eliane disse...

Eu não sou a favor da cremação mais cada cabeça uma centenas.

Anônimo disse...

Então a retirada de órgãos também afetaria oespirito...

Anônimo disse...

Sempre quis saber sobre a cremação sob a visão espirita.

Rosamaria Breis disse...

Perfeito...

Sandra Guastalla disse...

No caso de 72 horas,cada desencarne é um,no caso de acidente, acredito que sim,ou assassinato,mas no caso de desencarne dormindo,ou mesmo por internação hospitalar dolosa, não há necessidade de 72 horas...
Muito boa a matéria.

Jberriel disse...

Boa tarde, meu amigo. Daquilo que temos estudado e ouvido de outros companheiros e até de amigos espirituais, em todos os processos há, de alguma forma, essa possibilidade. Tudo vai depender do facto desse espírito estar mais ou menos desmaterializado, ou seja, menos ligado às coisas materiais. E vai depender também das escolhas, conscientes ou não, daquele que desencarnados. Passo a explicar: Se eu,em vida, por caridade decidir doar os meus órgãos para salvar outras vidas ou para estudo (progresso da humanidade) a própria espiritualidade superior irá me ajudar para que eu não sofra nenhum choque com esse ato. Entretanto se alguém tomar esta decisão por mim ( contra a minha vontade), pode ser que eu tenha algum tipo de sofrimento. Mas cada caso é um caso e temos variáveis ilimitado. Tudo vai depender sempre dá forma como tomamos as decisões e do nosso merecimento. Muita paz!

Anônimo disse...

Tudo depende muito do grau de evolução e desprendimento do indivíduo. Ele pode logo se desligar do corpo ou ficar preso a ele sentindo os efeitos da decomposição ou no caso, da cremação. Por isso devemos nos evangelizar e estudar sempre!

Anônimo disse...

Baseado nessas informações, segue-se a determinação da cremação.

Anônimo disse...

Pelo que entendi, tudo depende do nosso conhecimento e evolução moral!!! O desprendimento do espírito do corpo é feito de acordo com o grau de conhecimento!! Estudar e estudar!!!

Anônimo disse...

Ola! Eu estudo adoutrina espirita,e acho pelo certo todo sepultamento deve espera a 72 e duas horas

Unknown disse...

Muito bom artigo para nos fazer pensar. Se o espírito sente alguma coisa por não estar ainda 100% desligado do corpo físico, ele vai sofrer de QQ maneira seja com a cremação, seja sepultado sentindo os vermes e a putrefacao, seja sentindo seus órgãos sendo retirados para doação, seja sendo aberto no IML para exame de causa deorte. Concluímos então o óbvio: levar uma vida honesta, desapegada com equilíbrio, de tudo!

Maria Flor disse...

Marta a ligação entre o corpo físico e o Espírito,leva algumas horas para haver o rompimento...Eu mesma já presenciei em um corpo,de um ente querido,as partículas de energias se separando aos poucos do corpo,saindo e subindo...de uma pessoa que sofreu muito nesta vida,como eu sabia que ninguem presente na sala do velório estava vendo eu não disse nada,fiquei admirada olhando é lindo...até sumir...creio que essa pessoa o tanto que sofreu com trombose em suas pernas a vida inteira,Deus a elevou...

Anônimo disse...

Nossa como é bom ter conhecimento não importa de qual religião, como eu e me filho vamos ser cremado vamos proceder desta forma.

LUIZ AMORIM disse...

A cremação apenas abrevia a volta do corpo ao pó. O que leva anos para acontecer com o sepultamento, se passa em menos tempos e a matéria vai seguir seu caminho em nosso planeta. Todos os senão é por puro dogma, do ponto de vista higiênico é mais recomendável, pois elimina germes e bactérias.